quarta-feira, 18 de junho de 2014

ADC:aec / I Like








gosto da tua sombra quando estás de costas, do teu cabelo quando o cortas e fica a desencaminhar o chão da tristeza, da tua boca quando acertas a vogal de uma rima imprevista. gosto dos poemas que passas à frente, dos livros que não tiras do saco, do pó que deixas acumular nas músicas que já não giram, do canto do teu quarto onde pairam esquecidos os teus dedais. gosto dos sinais de trânsito que ignoras, quando vais apressada, das árvores que deixas de cumprimentar, das horas que passas a dormir, se te apetece esquecer a manhã. gosto de quanto pões no lixo, as ideias sem alicerce, as cores inanimadas, as roupas encolhidas e mesmo as cortinas mais velhas do teu sótão, mesmo quando elas já só demoram a morrer, do sol que lhes deu, se o verão estava por fora e os teus sonhos por dentro.






Sem comentários:

Enviar um comentário