domingo, 16 de junho de 2013

interrupção involuntária da primavera




A primavera está a dias de acabar... tinha prometido um poema por cada dia de primavera, cheguei aos 56... tendo em conta que foram mais os dias de inverno que os de primavera... talvez o saldo esteja a meu favor...

Vou interromper por uns tempos a bainha, para ela respirar e, quem sabe, coser-se com outras linhas. Mas o outono vai chegar depressa, prometo! E mais forte e condensado que nunca!

Beijinhos e um obrigado especial para todos os que foram incentivando este roteiro para a primavera de 2013.

2 comentários:

  1. Daniel,
    Estaremos sempre por aqui, em qualquer estação, quer faça chuva, quer faça sol!
    Grande abraço!!!

    ResponderEliminar
  2. daniel

    mesmo que de um só poema se tratasse, o saldo, daniel, seria sempre favorável, mas a nós, os teus leitores, aos teus amigos também.
    Faça sol ou faça chuva, solidariamente abrigados no guarda-alegrias aqui partilhadas, no quarda-tristezas pois delas a vida é feita também... (onde já vi eu isto de guarda-tristezas?...)

    esperamos sempre por ti, pelo teu poema ao final do dia e antes de adormecer numa visita "livremente obrigarória" a esta que considero a já bainha dos meus-nossos dias.

    obrigada, daniel. um beijo.
    até já.

    ResponderEliminar