sábado, 20 de abril de 2013

# 30



perder tempo é entrar numa porta que não dá para lugar nenhum, abri-la e espreitar o que está do outro lado, despejar o resto da música do coração, adiantar ainda mais o processo que esquece, que cansa, que avaria os brinquedos e as alamedas da infância.

Sem comentários:

Enviar um comentário