quarta-feira, 17 de abril de 2013

# 26



a primavera disse-me que tudo é permitido. falar para dentro das pedras, escrever para dentro das nuvens, sussurrar para dentro das flores, abraçar para dentro do mar, como se tudo fosse fácil, beber da torneira aberta da chuva ou perceber a tua boca enquanto ela repete a redondeza do amor.


dedicado à minha querida companheira de ofício, elvira victorino.


Sem comentários:

Enviar um comentário