quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

o farol



um farol é um poema que tens no teu coração rodando sobre as calhas do amor, um poema transparente, com um longo cachecol de luz, interrompendo a agudeza da noite. chama as palavras e a música, que vêm como ondas muito delicadas, ondas doces de flor de laranjeira, esvoaçando como se fossem garajaus, rosados pela boca ansiosa do silêncio. e depois a espera alumia-se, numa cintilação que é feita de portões abertos e ilhas perfeitas. falta apenas o teu barco, ou o teu nome, ou uma garrafa com o teu barco com o nome lá dentro, derivando, tranquilamente, como se o destinatário fosse certo e o remetente eterno.

Sem comentários:

Enviar um comentário