sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

selecção natural



só me apetece guardar cacos. cerâmicas tão gastas que deixam passar a luz do silêncio. arranjo espaço no jardim, como para tudo o que ainda pode ter concerto. misturo a terra com o desejo de tardes mais longas, passadas contigo. aos poucos a espera há-de perceber que pega de estaca, florindo, compassando, a selecção natural do que vale a pena.

Sem comentários:

Enviar um comentário