terça-feira, 25 de dezembro de 2012

natal (com asas), sem mapa, ainda:



é natal no meu coração, finalmente cresceram-me as asas. todos estes dias à espera, escrevendo cartas, traçando um caminho contra a sede que secava o poço da alegria. agora acrescento uma estrela no dia das palavras, canto um poema, elevo a luz do silêncio à condição de pássaro de fogo. posso ir ter contigo?

Sem comentários:

Enviar um comentário