sexta-feira, 2 de novembro de 2012



os amantes são seres
voláteis

o desejo desliga as arestas
do corpo

amplia as asas interiores
e acelera o coração

para que ele deslize
para dentro do poema

que sempre sobra
depois do amor


Sem comentários:

Enviar um comentário