terça-feira, 2 de outubro de 2012




não quero saber do fim
que se aproxima

do tempo que se esgota
e nos passa por cima

do dia que acaba
e nunca mais recomeça

da noite que vem sempre
e nos atravessa

não quero saber do incêndio
que se repete

do silêncio que se levanta
e nos derrete

da ruína que chega por trás
e nos surpreende

do deserto que se alastra
e nos apreende

só quero saber do teu nome
no meu coração

do amor e das promessas
gravadas na nossa mão



1 comentário: