sábado, 7 de julho de 2012




nesta cidade sinto-me um fado
enquanto sobe e desce
a minha solidão

inclino-me sobre o passado
é uma saudade que cresce
repetindo o meu coração

espreito a manhã cansada
na luz que o silêncio deita
no amor que eu sempre juro

e é uma canção desalinhada
um fado que se põe à espreita
enquanto eu te procuro

Sem comentários:

Enviar um comentário