terça-feira, 14 de junho de 2011

QUIETO




Quieto como se alguém me estivesse a contar um poema. Para não perder a música, as asas desse lugar fabuloso. O mundo compondo-se, perfeito, através de uma janela quebrada.

Sem comentários:

Enviar um comentário