domingo, 29 de maio de 2011

REMAININGS OF THE DAY




Lutaste contra o tempo a vida toda. Mas cresceste ao contrário. Ao contrário dos gerânios ficaste mais pequena. Deixaste a casa abandonar-se. Perdeu o sentido de guardar o lugar. O lugar passou a ser uma fotografia antiga com gente sentada na escadaria da frente, acenando a quem passa. Antes passava muita gente. Agora já ninguém visita o outro lado do mundo.


sábado, 28 de maio de 2011

MAR DO DIA




Enquanto houver um mar à tua frente, enquanto houver luz para dares conta de quanto é imenso. Enquanto o teu coração for forte. A ilha é a tua casa.


sexta-feira, 27 de maio de 2011

AO FIM DA TARDE





Ao fim da tarde havíamos de regressar aos lugares que quisemos só nossos. Nós e as pequenas coisas que nos iluminavam. Nós e os nossos pequenos sonhos, tão pequenos que quem lá regressa agora sou eu apenas. Uma sombra dançante que se dilui na aguada do tempo.

O CÍRCULO PERFEITO



Dir-te-ia que já não tenho que viver mais. Posso morrer daqui para diante todos os dias que já tive o meu dia perfeito. O beijo nem sequer foi o primeiro, não tinha que ser. Mas tu eras a primeira e a última, a única. Como um círculo que fecha ao mundo todos os outros seres, todas as outras animações. A essência perfumada a que muitos chamam coração, alma, rosa ou poema.


segunda-feira, 23 de maio de 2011

LEVANTADO DO CHÃO




Levantei-me do chão. Tirei estas raízes pesadíssimas e ergui-me como um lado poente de uma árvore secular. Há muito tempo que não desadormecia com a luz alta da tarde. Senti os pássaros rente a mim. Já não eram o rendilhado riscado no céu que eu tinha de imaginar tocar-me. Agora sou eu quem os toca. Tocar um pássaro é como dançar sentado.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

acordar




Acordar é devolver as moedas e as asas ao deus dos sonhos. Ficarmos iguais ao que éramos acrescentados de uma porção a menos de vida. Dormimos e esquecemos que passamos. Acordamos com a oportunidade de ter valido a pena acordar. E depois cada um é que escolhe se dança ou rasteja. Se canta ou consente.



quarta-feira, 18 de maio de 2011

adormecer



para adormeceres precisas apenas
de ter o coração disponível

saber que há uma lua que te guarda
os passos em volta

quando sonhando
te afastas do chão


o primeiro dia




o primeiro dia foi feliz como uma palavra incendiada
por um pintor louco

aos poucos tudo se acendeu como se fosse a primeira vez
que deus inspeccionasse a sua criação

e aos poucos também
voltei a acreditar que é possível voltar a haver verão

por mais que morramos
antes do tempo